A cirurgia íntima está deixando de ser um tabu e passa, cada vez mais, a ser encarada como um procedimento que renova a autoestima feminina e permite uma melhor qualidade de vida. Diante disso, é normal que algumas dúvidas surjam quando nasce o interesse por realizar alguma cirurgia estética íntima. Vamos revelar algumas verdades sobre o tema.

1 – Cirurgias íntimas não são todas iguais: há, por exemplo, a cirurgia que promove uma redução do Monte de Vênus; a ninfoplastia ou labioplastia, que reduz os pequenos lábios e a cirurgia de redução da flacidez dos grandes lábios vaginais. Cada uma se aplica a um caso específico e podem sim ser associadas para um resultado mais notável.

2 – É necessário ficar na ‘seca’ por algum tempo: após uma cirurgia plástica íntima, o cirurgião plástico pede um período de ‘repouso’ sem relações sexuais de 30 a 45 dias. Depois disso, com a liberação médica, é possível retomar a vida sexual.

3 – Não há qualquer interferência no parto: mulheres antes ou após terem filhos podem se submeter à cirurgia íntima. Nenhum dos procedimentos citados interfere durante a gravidez ou parto. O que ocorre é que há uma procura maior por mulheres após várias gestações, já que ocorre uma modificação nos órgãos genitais.

4 – Associação com outros procedimentos é possível: além da combinação entre as cirurgias plásticas íntimas, também é permitido realizar outras cirurgias como abdominoplastia, lipoaspiração ou mamoplastia.