Grande parte das mulheres deseja ter seios volumosos e empinados. Em alguns casos, colocar próteses de silicone é suficiente para realizar esse sonho . Porém, outras pacientes chegam ao consultório do cirurgião plástico também com as mamas flácidas. Para elas, existe uma solução perfeita: a mastopexia com prótese, que eleva e preenche os seios.

Quer saber como é essa cirurgia e para quem é indicada? Então, continue a leitura deste post!

O que é mastopexia com prótese?

É a cirurgia plástica para quem precisa solucionar dois problemas em um único procedimento: pouco volume e flacidez. O médico retira uma parte da pele que está sobrando para dar um up nos seios e insere também a prótese de silicone, deixando as mamas bem preenchidas e empinadas.

Para quem a mastopexia com prótese é recomendada?

Geralmente, o médico recomenda essa cirurgia quando as mulheres querem um volume adicional nas mamas, mas já apresentam uma flacidez média ou acentuada. Portanto, o profissional associa os dois procedimentos para conseguir um resultado estético fantástico!

Por que não colocar apenas a prótese para levantar as mamas?

A cirurgia que apenas coloca as próteses não é a mastopexia, e sim a mamoplastia de aumento. Ela turbina os seios e deixa o contorno das mamas incrível, mas não é capaz de tratar os casos de flacidez.

Muitas mulheres acreditam que, se colocarem uma prótese de silicone maior o seio ficará preenchido e elas ficarão com as mamas firmes. Contudo, na prática não é isso que acontece.

Geralmente, se a mulher que tem seios flácidos apenas coloca um implante maior, em pouco tempo a queda será ainda mais acentuada. Isso acontece porque, além de a mama ter uma sobra de pele, ela recebeu um peso adicional, agravando o quadro.

Por isso, é muito importante confiar na avaliação do cirurgião plástico. Ele analisa cada caso e verifica se é possível solucionar o problema da paciente apenas turbinando os seios (mamoplastia de aumento) ou se o mais indicado é retirar a pele para corrigir a flacidez (mastopexia com prótese).

Como é a cirurgia de mastopexia com prótese?

O procedimento depende do grau de flacidez da paciente e do volume da prótese que ela deseja colocar. Então, se a quantidade de pele a ser retirada é pequena, assim como o tamanho do implante, o médico pode usar a técnica periareolar.

Isso significa que o cirurgião fará um corte em formato de semicírculo em volta da aréola. Ele retirará uma pequena área de pele para levantar os seios. Também por essa incisão, a prótese será colocada atrás da glândula mamária.

No entanto, é preciso destacar que quem escolhe a técnica apropriada é o cirurgião. Mesmo que a flacidez seja discreta e a prótese de pouco volume, ele pode optar por outro tipo de corte.

Para isso, ele levará alguns fatores em consideração. A facilidade ou dificuldade de cicatrização da paciente e seu desejo de amamentar no futuro estão entre os principais aspectos analisados.

Porém, na maioria das vezes a mastopexia com prótese usa uma técnica diferente. Ela é indicada porque corrige a flacidez com muita eficiência e permite a colocação de implantes mais volumosos, que são os preferidos por grande parte das mulheres.

Nesses casos, o médico faz um corte em volta da aréola, outra na vertical, entre o bico do peito e a dobra inferior da mama e, finalmente, um corte na base. Esse tipo de incisão, chamada de T invertido, permite retirar as sobras de pele, remodelar o seio e colocar a prótese. Assim, é possível garantir um resultado muito bom.

Como é a cicatriz da mastopexia com prótese?

Quando o médico usa a técnica periareolar, a paciente fica com uma cicatriz muito discreta apenas em volta das aréolas. Nessa área já existe uma mudança de cor entre o bico do seio e a mama. Por isso, as marcas são pouco perceptíveis.

Contudo, essa técnica tem algumas desvantagens. A primeira é o fato de que, como já falamos, ela permite retirar apenas um pequeno pedaço da pele. Então, ela só serve para tratar de casos de flacidez muito discreta.

Devido ao corte pequeno, essa técnica também não é indicada para quem quer colocar uma prótese volumosa. Por esse motivo, esse tipo de incisão é pouco usada nas cirurgias estéticas, pois as mulheres geralmente querem seios grandes.

Finalmente, quando o cirurgião usa a incisão periareolar, ele precisa cortar alguns dutos que transportam o leite a fim de colocar a prótese atrás da glândula mamária. Assim, a paciente pode ter uma certa dificuldade para amamentar futuramente.

Já quando o médico usa a incisão em T invertido, as cicatrizes são maiores. Porém, o efeito estético da cirurgia pode ser melhor tanto por tornar a mama mais firme quanto por permitir o uso de uma prótese maior. O tempo suaviza as marcas, que são facilmente disfarçadas sob o sutiã e biquíni ou ficam escondidas na dobra inferior da mama.

Qual é a anestesia usada na mastopexia com prótese?

Duas opções são muito comuns nesse tipo de cirurgia: anestesia local com sedação ou anestesia geral. Entretanto, nos dois casos o procedimento é muito seguro.

O anestesiologista acompanha todo o procedimento. Ele aplica o medicamento e fica monitorando os sinais vitais, garantindo a segurança da paciente. A recuperação é tão tranquila que a maioria das mulheres deixa o hospital no dia seguinte à cirurgia.

Como é o pós-operatório da cirurgia?

O pós-operatório é simples, desde que a paciente respeite as recomendações médicas. O médico receita analgésicos, o que faz com que a maioria das mulheres não sinta dores. No nosso grupo do Facebook, você encontra vários relatos em que elas dizem que o mais comum é sentir um leve desconforto.

No entanto, os cuidados nas semanas seguintes são fundamentais. Eles contribuem para o bem-estar da paciente e para o resultado da cirurgia. Veja quais são as principais recomendações:

Usar o sutiã pós-cirúrgico

O sutiã pós-cirúrgico comprime levemente os seios. Por isso, ele previne o inchaço e mantém as mamas estáveis, facilitando a cicatrização. Deve ser usado o tempo inteiro, por pelo menos 30 dias. É importante retirá-lo apenas para tomar banho.

Cuidar com a movimentação

Os braços não devem ser levantados acima dos ombros durante 30 dias. Assim, a paciente não força os pontos e previne o deslocamento da prótese. Movimentos bruscos do tronco também precisam ser evitados.

Como a paciente não pode levantar os braços, nos primeiros dias é preciso ter alguém para ajudá-la até mesmo em cuidados pessoais, como lavar os cabelos. Então, é importante se programar com antecedência e providenciar uma pessoa para realizar as tarefas domésticas.

Normalmente, os médicos recomendam que as pacientes dirijam e retomem a vida sexual só depois de 20 dias.

Faça o acompanhamento adequado

É preciso voltar ao médico nas datas indicadas por ele a fim de retirar os pontos e realizar o acompanhamento da recuperação e cicatrização.

Respeite o período de repouso

Em muitos casos, a paciente consegue voltar ao trabalho depois de uma semana. Porém, ela não pode fazer movimentos amplos ou bruscos, esforços físicos ou carregar peso. As caminhadas costumam ser liberadas depois de 30 dias e os exercícios de musculação, em cerca de 60 dias.

Evite o sol

Muitas pacientes ficam ansiosas para colocar um biquíni e mostrar a nova forma dos seios. Porém, o aquecimento do corpo contribui para o inchaço e a luz solar pode transformar hematomas em marcas permanentes. Portanto, é melhor evitar o sol por pelo menos 30 dias.

Viu como a mastopexia com prótese é uma excelente alternativa para quem quer elevar os seios e preenchê-los em uma única cirurgia? Gostou do post? Ficou com alguma dúvida? Faça sua pergunta nos comentários e teremos o maior prazer em respondê-la!