Idade, predisposição genética, gestações, amamentação, variações no peso — são vários o fatores que causam ou agravam a flacidez nas mamas. Porém, para corrigir esse problema nem sempre é necessário preencher os seios com implantes. Existe também a possibilidade de fazer uma mastopexia sem prótese, que é um procedimento específico para elevar os seios.

Quer saber mais sobre essa opção? Então, continue a leitura deste post. Vamos mostrar que, em alguns casos, é possível ficar com os seios lindos e empinados mesmo sem turbiná-los. Confira!

O que é a mastopexia?

A mastopexia ou lifting (levantamento) das mamas é a cirurgia plástica indicada para quem precisa corrigir a ptose mamária. Mas se você não sabe o que é isso, vamos explicar!

Ptose é o termo médico usado para descrever a queda de alguma parte do corpo. Assim, se falamos em ptose mamária, estamos nos referindo aos seios caídos, uma condição estética que incomoda muitas mulheres.

Como acontece a mastopexia?

Nessa cirurgia, o médico levanta e remodela as mamas para obter um resultado esteticamente harmônico. Para isso, ele retira o excesso de pele, um pouco de tecido gorduroso e, algumas vezes, até mesmo uma pequena quantidade das glândulas.

Ao final do procedimento, o cirurgião reposiciona a aréola e faz uma espécie de montagem com o tecido mamário. Assim, é possível ficar com os seios firmes e com um aspecto muito mais jovem, o que devolve a autoestima da mulher e produz bem-estar com o próprio corpo.

É necessário colocar prótese na mastopexia?

Na verdade, nem sempre é necessário colocar prótese na mastopexia. Esse procedimento é indicado quando, além de corrigir a flacidez, a mulher quer aumentar o tamanho das mamas.

Contudo, muitas mulheres não sentem essa necessidade. Elas já têm seios fartos e volumosos, e realmente só querem dar um up no visual e deixar as mamas firmes. Dessa forma, elas podem fazer apenas o lifting e obter excelentes resultados.

Para quem a mastopexia sem prótese é indicada?

A mastopexia sem prótese é uma excelente alternativa quando a mulher tem uma boa quantidade e densidade de tecido mamário. Dessa forma, o cirurgião entende que apenas retirar a pele flácida e remodelar os seios é o suficiente para deixá-los firmes e empinados.

Entretanto, se a mulher não tem essa boa densidade, esse não é o procedimento indicado. Os cirurgiões afirmam que, se o tecido mamário está diminuído (atrofiado), é preciso usar próteses para preencher a mama e garantir firmeza e sustentação.

Via de regra, o lifting de mamas diminui o volume dos seios. Afinal, o médico irá retirar pele, gordura e talvez algumas glândulas. Por isso, ela não é indicada para mulheres que, além de corrigir a flacidez, querem também aumentar o tamanho das mamas.

Além disso, a mastopexia sem prótese é indicada em três situações específicas: a gigantomastia, escassez de pele em casos de cirurgia secundária e mamas tuberosas. No entanto, são condições não muito comuns e só o médico sabe identificá-las e fazer uma recomendação adequada.

Qual é a anestesia usada na mastopexia sem prótese?

A escolha da anestesia depende da análise do quadro e histórico da paciente, bem como da previsão quanto ao tempo necessário para fazer a cirurgia. Em média, esse procedimento dura entre uma hora e meia e quatro horas.

Por isso, em alguns casos é possível que o médico faça a mastopexia apenas com uma anestesia local e sedação (medicamento para dormir). Porém, em outras pacientes ele precisa recorrer à anestesia peridural ou geral.

Como fica a cicatriz da mastopexia sem prótese?

Primeiramente, essa resposta vai depender da quantidade de pele que o cirurgião precisa retirar. Esse é o fator que vai definir o tipo de incisão utilizada. Conheça as alternativas:

Incisão periareolar

Trata-se de um corte feito em formato de meia-lua, na parte de cima da aréola. Porém, ele permite retirar apenas um pequeno trecho de pele e serve para corrigir casos de flacidez bem discreta. Portanto, só é recomendada para pacientes com ptose mamária leve.

Incisão circumareolar

Nesse caso, o cirurgião faz a incisão em torno de quase toda a aréola, mantendo apenas um pequeno trecho ligado à pele original. Embora seja uma técnica pouco invasiva e que deixa apenas essa marca circular, ela também só consegue retirar uma quantidade menor de pele.

Assim, a incisão circumareolar só é recomendada a pacientes com mamas pequenas e que apresentam ptose mamária leve.

Incisão vertical

É uma técnica que possibilita a retirada de uma quantidade maior de pele. Assim, ela permite um alto grau de elevação das mamas.

Nesse tipo de procedimento, o cirurgião faz dois cortes: o primeiro é em volta da aréola, da mesma forma que na incisão circumareolar. Porém, depois ele precisa acrescentar uma outra incisão vertical, que vai da parte de baixo do mamilo em direção à base da mama.

Essa técnica pode ser usada quando a paciente tem mamas grandes e apresenta ptose mamária moderada ou acentuada.

Incisão em âncora

Finalmente, vamos falar da técnica que permite retirar uma grande quantidade de pele. Nesse caso, além do corte contornando a aréola e outro no sentido vertical, o cirurgião também faz uma incisão na parte inferior da mama, contornando o sulco mamário, a dobrinha que fica abaixo do seio.

Apesar de ser mais invasiva e deixar marcas maiores, essa técnica traz excelentes resultados. Ela permite um alto grau de elevação das mamas e garante seios empinados até mesmo para as mulheres com ptose mamária bem acentuada.

Então, as cicatrizes podem ter todos esses formatos. Tudo depende do grau de flacidez e da extensão de pele que o médico precisa extrair. No entanto, vale a pena destacar que, com o cuidado pós-operatório apropriado, a cicatrização tende a ser excelente e deixar marcas muito discretas. Além disso, os cortes sempre ficam escondidos sob o sutiã ou biquíni.

Como se preparar para a o lifting de mamas?

A preparação para o lifting de mamas é muito parecida com a de outras cirurgias plásticas. Depois de uma consulta inicial e avaliação clínica, o médico solicitará exames de sangue, raio X do tórax, ultrassom das mamas e mamografia, eletrocardiograma e outros procedimentos que ele considerar necessário, de acordo com o histórico da paciente.

Então, ele dará uma série de orientações, como:

  • parar de fumar um mês antes da cirurgia, para promover uma boa oxigenação dos tecidos e facilitar a cicatrização;
  • suspender o uso de determinados remédios, especialmente os que podem dificultar a coagulação;
  • comparecer em jejum de pelo menos 8 horas no dia do procedimento.

Como é o pós-operatório da mastopexia sem prótese?

Grande parte do resultado de qualquer cirurgia plástica depende muito do cuidado no período pós-operatório. No caso da lifting de mamas sem prótese, os médicos recomendam:

Usar o sutiã pós-cirúrgico

Essa peça é extremamente necessária. Ela é colocada ainda no centro cirúrgico para dar estabilidade às mamas, evitando que os movimentos realizados pela paciente afetem os cortes externos e internos. Assim, o organismo tem as condições ideais para promover uma boa cicatrização.

O sutiã pós-cirúrgico também é importante para reduzir o inchaço e modelar as mamas. Portanto, ele é um verdadeiro aliado para obter bons resultados e deve ser retirado apenas para tomar banho. É preciso usá-lo durante 60 dias.

Controlar a movimentação dos braços e tronco

Ao levantar os braços ou movimentar o tronco bruscamente, a mulher força a área operada e pressiona a incisão para que se abra. Esse tipo de comportamento pode levar à ruptura de pontos e a dificuldades de cicatrização, comprometendo o resultado da cirurgia.

Então, o ideal é realmente realizar um repouso adequado. Não levantar os braços, evitar movimentos bruscos, não dirigir nos primeiros 20 dias e nem fazer esforços ou carregar peso. Todo esse cuidado será recompensado quando você olhar no espelho e ver seus seios empinados e maravilhosos!

Usar a medicação prescrita pelo médico

Se a paciente segue todos os cuidados, ela dificilmente enfrentará dores no pós-operatório. Além disso, o médico receitará analgésicos que vão minimizar o desconforto dos primeiros dias.

Outros medicamentos que o cirurgião prescreve são antibióticos e anti-inflamatórios. Eles evitam qualquer tipo de infecção e garantem à paciente uma recuperação segura e tranquila.

Dormir de barriga para cima

Nesse momento de recuperação, os seios jamais devem receber qualquer tipo de pressão. Portanto, dormir de bruços está completamente fora de cogitação!

Além de dormir com o sutiã pós-cirúrgico, a mulher deve também cuidar da posição durante o sono. É preciso ficar de barriga para cima, de preferência com um travesseiro levantando as costas para não “esticar” a região do corte.

Também não é recomendado deitar de lado. A área do seio que ficar na posição inferior será pressionada, enquanto o corte da área da posição superior ficará mais esticado, facilitando a abertura de pontos.

Repousar no período estabelecido

O tempo necessário para voltar ao trabalho e outras atividades normais depende da extensão da cirurgia e da recuperação da paciente. Em médica, a maioria das mulheres volta ao trabalho em 15 dias, desde que sua função não exija esforço físico, levantamento de peso ou excesso de movimentação.

Também é preciso esperar para retomar a prática de exercícios e a vida sexual. Caminhadas leves são permitidas em torno de um mês depois da cirurgia. Já a musculação para os membros superiores deve ser suspensa até que o médico libere essas atividades. A média para retorno fica entre 30 e 60 dias.

Retornar para o acompanhamento

Depois da cirurgia, o médico estabelecerá dias para você voltar ao consultório. Esse acompanhamento é necessário para verificar como está a cicatrização e para que ele a oriente quanto aos procedimentos do pós-operatório. É fundamental seguir as recomendações do médico quanto à higiene e troca dos curativos.

Que resultado a paciente pode esperar da mastopexia sem prótese?

É importante destacar que essa cirurgia não é indicada para aumentar os seios. Ela retira pele, então o volume real diminui.

No entanto, a maioria das pacientes têm a impressão de que seus seios ficaram maiores depois do procedimento. Isso acontece porque, ao remodelar as mamas, o cirurgião faz com que elas fiquem firmes e empinadas, com uma projeção maior para a frente do que quando estavam caídas.

Além disso, o resultado da mastopexia é extremamente natural. O formato e a textura da mama ficam perfeitos, já que só foi usado o tecido da própria paciente.

Entendeu em que casos a mamoplastia sem prótese é indicada? Quer conhecer a experiência de pacientes que realizaram esse tipo de cirurgias e outros procedimentos para valorizar os seios e conquistar o corpo dos sonhos? Participe do nosso grupo no Facebook e confira relatos reais. Você será muito bem-vinda!