Quando reduzir as mamas é o melhor caminho?

Apesar de toda a moda de aumento, seios muito grandes são a causa de desconforto tanto psicológico quanto físico e social para algumas mulheres. Elas não conseguem realizar atividades do dia-a-dia, sentem dores nas costas, ombros e pescoço provocadas pelo peso de peitos exageradamente grandes, perdem a sensibilidade nas mamas, sentem dificuldades para dormir, são acometidas por estrias e até mesmo por dermatites causadas pelo suor no sulco entre as mamas e o tórax. Outro problema comum é a formação de vergões e feridas nos ombros, causados pelos sutiãs devido ao peso das mamas.

Por conta do tamanho desproporcional dos seios, muitas meninas acabam por prejudicar a postura na tentativa de esconder o volume curvando ombros e coluna. Outras ainda usam roupas largas para disfarçar o problema.

Para essas mulheres, a cirurgia plástica de redução de mamas (mamoplastia redutora) é indicada. O procedimento, que visa a redefinição do tamanho dos seios, pode ser realizado a partir dos dezesseis anos, período em que a mama geralmente já completou seu desenvolvimento. Tem duração média de 3 horas, dependendo do tipo de mama, é realizada com anestesia geral, peridural ou local com sedação e propõe a retirada de gordura e de tecido mamário, seguida do reposicionamento da aréola. A cicatriz resultante pode ser em L, I ou T invertido, variando de acordo com a quantidade a ser retirada.