Ao contrário do que se possa imaginar, as mamas nem sempre são idênticas, aliás, um grande número de mulheres sofre com essa diferença entre um seio e outro. Muitas vezes ela só é notada pela própria mulher, mas em outras, a diferenciação é notada até enquanto a paciente está utilizando roupas comuns do dia a dia, pelo excesso ou falta de volume ou pela ptose. Além disso, as aréolas também podem ser diferentes.

Após a puberdade, com o desenvolvimento completo das mamas, é possível diagnosticar uma assimetria das mamas. A indicação pela cirurgia plástica ocorre quando a distinção é extremamente notável. O problema pode surgir ou se acentuar após a amamentação, caso o bebê sugue apenas uma das mamas. A assimetria também pode ser provocada pelo câncer de mama e, por isso, apenas um médico especialista pode avaliar o caso.

De acordo com a necessidade de cada paciente, o especialista avaliará se é necessário um implante em uma mama menor, redução da mama maior, reposicionamento de mamas, aréolas, entre outros. O procedimento é feito com anestesia local com sedação ou geral. O tempo de cirurgia não ultrapassa 1h30.