Fale Conosco Pelo Whatsapp

Até algum tempo atrás, era fato: quem aumentava os seios por meio de um implante, precisava fazer uma nova cirurgia para trocá-lo 10 ou 15 anos mais tarde. Porém, com as novas tecnologias que surgiram, essa necessidade não existe. Atualmente, as mulheres procuram uma prótese de silicone definitiva.

Mas afinal, é possível realmente colocar silicone e nunca mais se preocupar com a prótese? Para saber a resposta, continue a leitura! Vamos explicar as diferenças entre as próteses antigas e as atuais e mostrar como a evolução tecnológica contribuiu para proporcionar essa comodidade às pacientes.

Prótese de silicone definitiva: qual é a tecnologia envolvida?

Antigamente, as próteses de silicone tinham duas diferenças essenciais em relação às que são usadas hoje: o revestimento e o conteúdo. Essas características são muito importantes para determinar a durabilidade do implante mamário. Entenda o porquê:

Próteses lisas e o risco de rejeição

No passado, as próteses de silicone tinham a superfície lisa. Porém, hoje em dia nós sabemos que esse não é o melhor revestimento. Nesses casos, o implante mamário tem uma dificuldade maior para aderir aos tecidos naturais. Portanto, o organismo começa um processo de rejeição daquele corpo estranho.

Por isso, as mulheres que colocavam silicone alguns anos atrás precisavam trocar a prótese depois de alguns anos. Com o tempo, o corpo formava uma camada de proteção tão grossa em volta do implante que começava a pressioná-lo. Além de endurecer a mama, causar dor e assimetria, existia um risco de rompimento.

Próteses texturizadas aceitas pelo organismo

No entanto, atualmente a situação é completamente diferente. A superfície das próteses é texturizada. Por isso, elas aderem aos tecidos com muito mais facilidade. O organismo não reage a esse corpo estranho de forma tão hostil. Então, ele não desencadeia o processo de rejeição e forma apenas uma película fina em volta do implante.

Além das próteses texturizadas, existem aquelas que recebem um revestimento de poliuretano. Assim, elas aderem aos tecidos da mama e músculo como se fosse um velcro. Isso reduz ainda mais as chances de um possível encapsulamento.

Resistência das próteses de silicone atuais

Porém, essa não é a única diferença entre as próteses de silicone antigas e atuais. O material passou por uma grande evolução tecnológica, garantindo extrema resistência aos implantes mamários.

As próteses comercializadas atualmente são feitas de gel de silicone de alta coesividade. Isso significa que as moléculas dele têm um grande número de ligações químicas e é difícil separá-las umas das outras. Ou seja, o material é muito compacto e simplesmente não se espalha.

Por isso, hoje em dia é muito raro uma prótese se romper. Isso só acontece quando a mulher sofre realmente um acidente grave, com uma pancada extremamente forte. Nesse caso, ela precisa procurar o médico para fazer exames e verificar se a prótese está intacta.

Prótese de silicone definitiva: qual é a segurança do implante?

Os implantes atuais são tão seguros que os fabricantes dão garantia vitalícia às suas próteses. Ou seja, elas não têm mais prazo de validade. Portanto, embora seja necessário realizar exames periódicos para verificar a integridade deles e a própria saúde da mama, a maioria das mulheres não precisará fazer a troca em nenhum momento da vida.

E então, entendeu por que hoje as próteses de silicone são consideradas definitivas? Ficou com alguma dúvida? Deixe sua pergunta nos comentários e nós responderemos!

Fale Conosco Pelo Whatsapp

Caso queira que entremos em contato com você, é só preencher o formulário abaixo !

(Preencha, envie e aguarde a confirmação)

Quer saber mais ? Confira todos os posts do nosso blog sobre Mamoplastia.
Quer saber mais ? Confira todos os posts do nosso blog sobre Prótese de Silicone.