Para passar por uma cirurgia plástica, é preciso pensar bem e ter informações claras sobre o assunto

Quanto mais você souber, menos dúvidas terá com relação a todo o processo cirúrgico e mais segura de sua decisão você ficará.

O material da prótese de silicone

Na hora de optar por um tipo de prótese, saiba que as de silicone são preenchidas com gel coeso, evitando que se espalhe em caso de rompimento. Isso não acontece com as de solução salina (soro fisiológico), as mais usadas nos Estados Unidos. Além de não serem usadas no Brasil, podem murchar e vazar ao longo do tempo (já que seu conteúdo é líquido), surgir ruídos quando há movimentação e são geladas. Outro diferencial é a via pela qual são colocadas. Enquanto as de silicone são, frequentemente, inseridas pela axila, aréola ou sulco inframamário, as de soro fisiológico são colocadas via transumbilical. Todos esses detalhes fazem com que a prótese de silicone em gel seja campeã em qualidade e naturalidade. Tanto é verdade que o silicone em gel foi finalmente liberado para as americanas. Quanto ao invólucro, as próteses podem ser de silicone liso, texturizado ou poliuretano. Converse com seu cirurgião para saber mais sobre as variedades de próteses disponíveis no mercado e a que melhor se encaixa no seu desejo.

Perfil da prótese de silicone

Um dos fatores determinantes do resultado estético esperado pela paciente, é o perfil das próteses. Ele pode ser alto, baixo, anatômico e super alto. Cabe ao cirurgião plástico indicar o perfil da prótese que melhor se adapta às características físicas da paciente e atenda a suas expectativas. A prótese super alta é indicada para mulheres muito magras, com tórax fino e mamas sem projeção. Já a prótese alta possui uma grande projeção para frente e é muito semelhante a uma bola cortada ao meio. O perfil baixo é mais arredondado, com menor projeção para frente e aspecto um pouco mais espalhado. Por fim, a prótese de perfil anatômico tem formato de gota, acompanhando a projeção natural da mama em relação ao colo, sem promover acentuações.

As vias de acesso da prótese de silicone

Quanto às vias de acesso, a mamoplastia de aumento (cirurgia plástica de silicone nos seios) pode contar com três principais incisões. São elas: axilares (axila), periareolares (ao redor da aréola) e no sulco inframamário (abaixo das mamas). A via axilar é a que melhor disfarça a cicatriz. Ela geralmente fica escondida na região dos pelos da axila. Como o risco de hematomas e equimoses (áreas arroxeadas) é maior nessa via de acesso, bem como alterações de sensibilidade e assimetria mamária, seu uso é bastante restrito por exigir muita experiência do cirurgião. Ela é ideal para pacientes que não desejam ter marcas evidentes nas mamas. Já a via periareolar também deixa uma cicatriz discreta, localizada na metade inferior da aréola. No entanto, é indicada para pacientes com aréolas de maior diâmetro. A via mais solicitada é a que insere a prótese de silicone pelo sulco inframamário devido à facilidade ao acesso dos tecidos e à rapidez do procedimento.