Está mais do que provado: estudos científicos garantem que a nicotina prejudica o processo cicatricial. Assim, ela altera a microcirculação dos tecidos, dificultando a cicatrização e favorecendo complicações. Portanto, definitivamente plástica e fumo não combinam.

Mas você sabe por que isso acontece? Então, continue a leitura e descubra os motivos para parar de fumar bem antes da sua cirurgia plástica. Confira!

Por que plástica e fumo não combinam?

Todo mundo sabe que fumar faz mal à saúde. Porém, também é fato que cada pessoa tem a liberdade de decidir o que fazer, e isso inclui o consumo de alimentos, bebidas ou produtos como o cigarro, que não fazem bem ao organismo.

No entanto, quando o paciente tem a intenção de fazer uma cirurgia plástica, é muito importante repensar esse hábito. Isso acontece porque as substâncias que compõem o cigarro podem causar complicações durante e após o procedimento, dificultando o processo de recuperação. Veja por quê:

A nicotina aumenta a vasoconstrição

A nicotina faz os vasos sanguíneos de todo o corpo diminuírem sua espessura. Durante uma cirurgia que envolve o descolamento do tecido cutâneo (pele) também acontece uma diminuição da vascularização.

Portanto, a associação desses dois fatores — cigarro + cirurgia — potencializa os efeitos negativos sobre a pele.

Fumo e plástica aumentam os riscos de trombose

Um dos riscos cirúrgicos mais significativos é a ocorrência de trombose. No entanto, quando as pessoas possuem hábitos saudáveis, a formação de um coágulo dentro dos vasos sanguíneos é bastante raro.

Porém, nos fumantes essa situação se inverte. O cigarro afeta a circulação, favorecendo o aparecimento de processos de trombose. Assim, como resultado, as veias podem ficar entupidas e levar a pessoa à morte.

O fumo dificulta a cicatrização

O cigarro dificulta a circulação sanguínea e consequentemente, a cicatrização. Portanto, ele reduz a quantidade de oxigênio que chega aos tecidos que precisam se recuperar, bem como os nutrientes necessários para a recomposição das células.

Assim, quem fuma tem uma cicatrização lenta e mais sujeita a complicações. Então, para ter uma cicatriz bonita e discreta, vale a pena deixar o cigarro de lado por um tempo e, quem sabe, até mesmo pelo resto da vida!

O que fazer se você fuma e quer realizar uma plástica?

Por todas essas razões, os cirurgiões plásticos recomendam à pessoa que pretende passar por uma cirurgia plástica que, definitivamente, pare de fumar.

No entanto, caso isso não seja possível, o paciente deve pelo menos respeitar o tempo de um mês antes da cirurgia sem o cigarro e, preferencialmente, os primeiros meses de recuperação, a fim de garantir um procedimento seguro e um pós-operatório tranquilo.

Por esse motivo, os cirurgiões são taxativos em dizer que quem pretende fazer uma cirurgia plástica deve ficar longe do fumo e, quem sabe, aproveitar essa deixa para abandonar o vício de vez. A saúde agradece!

Agora você já sabe por que fumo e plástica não combinam. Ficou com alguma dúvida? Então, deixe sua pergunta nos comentários e nós responderemos. Não se esqueça também de seguir nossas páginas no Facebook e Instagram para não perder nenhuma novidade!

master-health

A Master Health, há mais de duas décadas, alia conforto, segurança e zelo no tratamento de seus pacientes. Adepta do conceito de clínica vertical, a Master dispõe de quatro andares unicamente dispostos ao atendimento, favorecendo a privacidade de cada momento da cirurgia plástica ou tratamento realizado pelo paciente.
Diretora Técnica Dra. Elaine Favano – CRM 42085/SP

Cirurgia Plástica Master Health


Caso queira que entremos em contato com você, é só preencher o formulário abaixo !

    (Preencha, envie e aguarde a confirmação)