É muito comum as pessoas associarem o nome “mamoplastia” ao aumento dos seios com próteses de silicone. Porém, esse é apenas um tipo de cirurgia. Ela também pode ser usada para corrigir outros problemas nas mamas, de acordo com as diferentes necessidades apresentadas pelas mulheres.

Então, se você quer saber quais são os tipos de mamoplastia e suas indicações, não perca este post. Vamos explicar como cada um desses procedimentos é feito e quais são seus objetivos. Confira e compare!

O que é uma mamoplastia?

Trata-se do nome dado às cirurgias plásticas feitas para modelar os seios. Por isso, embora às vezes elas sejam chamadas por termos específicos, esses procedimentos são todos classificados como mamoplastias.

Quais são os tipos de mamoplastia?

Como essas cirurgias têm o objetivo de corrigir as mamas, os tipos de mamoplastia variam de acordo com o problema apresentado pela paciente. Conheça as opções!

Mamoplastia de aumento

Essa é a cirurgia plástica mais comum no Brasil. Afinal, mesmo em um país conhecido pelo famoso “bumbum brasileiro”, as mulheres estão valorizando cada vez mais os seios. Por isso, é natural que elas busquem procedimentos para torná-los volumosos e empinados.

Nesse tipo de cirurgia, o tamanho dos seios é aumentado com a colocação de próteses de silicone. O médico pode indicar diferentes volumes e formatos para conseguir um resultado harmônico, de acordo com o corpo da paciente.

Além do próprio volume dos seios, muitas mulheres que procuram esse procedimento querem ficar com aquele colo bem marcado, criando uma linha de decote incrível.

Atualmente, com técnicas modernas e implantes cada vez mais tecnológicos, essa cirurgia é bastante simples. As cicatrizes são mínimas, o procedimento é rápido, a recuperação é excelente e o resultado, fantástico!

As cicatrizes da mamoplastia de aumento podem ser posicionadas em diferentes lugares: nas axilas, em volta da aréola (mamilos) ou debaixo do seio, na dobra conhecida como sulco mamário. Atualmente, essa última técnica é a mais utilizada, deixando uma marca pequena, discreta e que fica coberta pelo sutiã ou biquíni.

Na maioria das vezes, as mulheres têm alta no mesmo dia. A anestesia mais usada nesse tipo de procedimento é a local com sedação. Os riscos, tanto durante a cirurgia quanto de rejeição da prótese, são praticamente insignificantes.

Portanto, se você não está satisfeita com o tamanho dos seus seios, comece a pensar nessa possibilidade! É rápido, simples e vale a pena!

Mamoplastia de redução

Porém, na contramão das mulheres que sonham em turbinar as mamas, estão aquelas que querem reduzir o volume. Afinal, quem tem os seios naturalmente muito grandes sabe que, além da questão estética, essa situação causa desconforto no dia a dia e até problemas de saúde.

Embora cada um possa se sentir feliz do jeito que é, normalmente associamos beleza ao conceito de harmonia. Por isso, tanto os seios pequenos demais quanto os de tamanho exagerado acabam prejudicando a imagem que a mulher tem do próprio corpo.

Além disso, não podemos nos esquecer de vários problemas que as mulheres com seios muito grandes enfrentam:

  • dificuldade para encontrar roupas que sirvam;
  • tendência a acumular suor abaixo das mamas e a apresentar assaduras nessa região durante o calor;
  • surgimento de marcas nos ombros devido ao peso que as alças do sutiã suportam;
  • dificuldade para encontrar sutiãs confortáveis e bonitos em tamanhos maiores;
  • balanço exagerado das mamas durante atividades físicas;
  • dores nas costas, ombros e pescoço devido ao peso das mamas;
  • dificuldade para manter uma postura ereta e saudável.

Como é feita a mamoplastia de redução

Por esses motivos, muitas mulheres optam por reduzir os seios por meio da mamoplastia redutora. Trata-se de um procedimento em que o cirurgião retira uma quantidade de gordura, outra de pele e até mesmo de tecido mamário.

Depois de retirar esse excedente, o médico modela as mamas e faz com que elas fiquem com um formato e tamanho adequados. Por isso, a mamoplastia também possibilita o tratamento de flacidez, como veremos no próximo tópico.

A mamoplastia redutora deixa cicatrizes um pouco maiores do que a mamoplastia de aumento. Normalmente, o corte tem o formato de uma âncora: um semicírculo em volta das aréolas, outro traço vertical entre os mamilos e a base dos seios e, finalmente, um traço no sulco mamário.

Entretanto, além de ficarem escondidas pelo sutiã, essas cicatrizes tendem a deixar marcas muito leves com o tempo.

O procedimento também é um pouco mais demorado que o da mamoplastia de aumento. Contudo, a paciente tem uma recuperação rápida e raramente ocorrem complicações.

Mamoplastia de elevação

Muitas pessoas nem pensam nessa cirurgia como um tipo de mamoplastia. Afinal, nos consultórios, sites e publicações ela costuma ser chamada de mastopexia ou lifting de mamas.

Esse tipo de mamoplastia é recomendada para as mulheres que, por uma série de motivos, ficaram com os seios caídos. Dessa forma, elas recorrem ao procedimento em que para que o cirurgião retire o excesso de pele, reposicione a aréola e remodele as mamas, dando um verdadeiro up no visual.

Frequentemente, as mulheres que fazem a mamoplastia de elevação têm a impressão de que seus seios ficaram maiores. Porém, isso não é verdade.

Essa impressão é comum porque, nesses casos, a cirurgia reajustou a altura das mamas. Então, se antes o excesso de pele fazia com que os mamilos apontassem mais para baixo, depois da mamoplastia a aparência é completamente diferente.

Os mamilos ficam apontados para a frente e o volume da mama fica melhor distribuído. Dessa forma, os seios ficam mais projetados para a frente, deixando-os empinados e bem preenchidos.

Em alguns casos, os médicos entendem que, a fim de deixar a mama com um bom volume, é interessante colocar também o silicone. Assim, ele associa as duas técnicas para obter um resultado perfeito e o procedimento é chamado de mastopexia com prótese.

Quanto à cicatriz, geralmente ela tem o formato de âncora, assim como na mamoplastia redutora. O procedimento é um pouco mais demorado que a mamoplastia de aumento e o tipo de anestésico pode variar. Geralmente, os médicos aplicam a local com sedação ou a anestesia geral.

Como é a recuperação da mamoplastia?

Para todos os tipos de mamoplastia, a recuperação da paciente costuma ser rápida e sem dores. Para isso, o médico receita analgésicos e recomenda uma série de cuidados. Porém, seguindo as indicações do pós-operatório à risca, a mulher vê o incômodo dos primeiros dias passar rapidamente e fica encantada com os resultados!

Finalmente, concluímos dizendo que existe um tipo de mamoplastia para cada tipo de sonho. Não deixe de realizar o seu! Quer saber mais sobre essas cirurgias plásticas? Então, siga nossas páginas no Facebook e Instagram e acompanhe a publicação dos nossos posts. Nos encontramos por lá!