Fale Conosco Pelo Whatsapp

A cirurgia otoplastia é a solução encontrada por muitos pacientes que sofrem com problemas estéticos relacionados às orelhas. Portanto, ela corrige principalmente as orelhas de abano, mas também é indicada para os casos de microtia, macrotia, assimetria, entre outros.

Porém, o cuidado com a saúde é mais importante que as questões estéticas. Por isso, alguns pacientes perguntam ao cirurgião se existe o risco de perderem a audição devido ao procedimento.

Se você também tem essa dúvida, continue a leitura! Vamos explicar como a cirurgia otoplastia é feita e por que ela não prejudica a audição. Confira!

Como é feita a otoplastia?

A otoplastia é a cirurgia que corrige o formato ou posição das orelhas. Portanto, o médico utiliza uma série de técnicas para ampliá-las, reduzi-las, ou modelá-las, de acordo com a necessidade do paciente.

Se o paciente tem macrotia (orelhas muito grandes), por exemplo, o médico retira cartilagens e o excesso de pele. Assim, ao final do procedimento a pessoa fica com uma orelha de tamanho normal.

Já se o paciente tem microtia (orelhas muito pequenas), o procedimento é inverso. O cirurgião precisa usar cartilagens para aumentar o tamanho e deixá-las proporcionais ao rosto.

Embora as otoplastias utilizem técnicas diferentes, devido aos problemas diversos que levam o paciente ao consultório, elas têm uma característica em comum: o procedimento é feito apenas na área externa.

Ou seja, para fazer a otoplastia, o médico não precisa mexer no ouvido do paciente. Então, não há nenhuma interferência no mecanismo interno, que é responsável pela audição.

Por que a cirurgia otoplastia não prejudica a audição?

Na verdade, as estruturas internas do ouvido são muito mais importantes para a audição do que a área externa. As orelhas captam as ondas sonoras e funcionam como antenas parabólicas ou funis. Assim, elas conduzem as vibrações ao canal auditivo.

No entanto, é dentro do ouvido (porções média e interna) que a mágica dos sons realmente acontece. As ondas sonoras produzem vibrações no tímpano e continuam esse estímulo ao longo das outras pequenas estruturas envolvidas na audição (ossículos, cóclea, células ciliadas etc).

Então, depois de todo esse processo, os estímulos se transformam em impulsos nervosos. Eles são levados até o cérebro pelo nervo, onde são processados, interpretados e identificados.

Portanto, como você pode perceber, os processos relacionados à audição ocorrem na parte interna do ouvido. A cirurgia otoplastia, que só altera a orelha (externa), não interfere na atuação dessas estruturas.

Complicações na cirurgia de otoplastia podem prejudicar a audição?

Embora o procedimento não prejudique a audição dos pacientes, ela pode ser afetada por infecções. Um exemplo é a otite, que se não for tratada adequadamente, leva até mesmo à surdez.

Porém, as infecções após uma otoplastia só acontecem em casos raros. Se o paciente segue as orientações do médico quanto à higienização do local da cirurgia, as chances de o problema acontecer são mínimas.

Então, é mais comum qualquer pessoa ter otite depois de uma gripe, resfriado e inflamações de garganta do que um paciente que passou pela otoplastia desenvolver uma infecção.

Ainda assim, caso ele sinta algum sintoma diferente no pós-operatório, deve procurar imediatamente o médico. Ele está habilitado a orientá-lo quanto à melhor forma de evitar infecções ou tratá-las de maneira adequada.

Gostou do post? Quer saber mais sobre a otoplastia? Continue no blog e confira nosso Guia Completo!

Fale Conosco Pelo Whatsapp

Caso queira que entremos em contato com você, é só preencher o formulário abaixo !

(Preencha, envie e aguarde a confirmação)