A necessidade de suspender ou não o uso do anticoncepcional antes de realizar uma cirurgia plástica é uma dúvida comum entre as mulheres

O planejamento para uma cirurgia plástica inclui a realização dos exames necessários solicitados pelo profissional e a comunicação de todos os medicamentos que a paciente utiliza. No caso das mulheres, isso também abrange o anticoncepcional. Através dessa análise, o cirurgião plástico identificará a necessidade de manter ou suspender o uso da medicação, considerando também os riscos de uma interação medicamentosa que pode anular o efeito de um dos remédios.

Anticoncepcional é um vilão da cirurgia plástica?

O anticoncepcional, por conter doses de hormônio, altera as funções normais do sangue, o que pode causar trombose (formação de coágulo sanguíneo). O caso mais comum em que os cirurgiões plásticos permitem a continuidade do anticoncepcional é quando a menstruação atrapalha a cirurgia e o pós-cirúrgico, como ocorre com a cirurgia íntima.

Se o cirurgião plástico recomendar a suspensão do anticoncepcional, o ideal é que a paciente pare de tomar o medicamento 30 dias antes da operação, reduzindo qualquer risco para seu organismo. Durante esse tempo, é necessário utilizar outros métodos contraceptivos.