A cicatrização é um processo natural do corpo humano para reparar os tecidos lesados, seja por ferimentos, cirurgias, traumas, entre outros, através da produção de fibras de colágeno na região afetada. Em alguns casos, essa produção é desordenada e gera uma cicatriz inestética, ou seja, de aparência desagradável.

Isso pode ocorrer pela localização da cicatriz (região anterior do tórax, ombro, costas e lóbulos de orelhas) em formatos curvos ou diante da tensão da área. Assim, a cicatriz pode ser mais alargada e de pior qualidade. Os cuidados dos pacientes também influenciam para ter uma cicatriz de qualidade, como evitar esforços que abram os pontos ou infeccionem as feridas.

Conheça os tipos de cicatriz mais comuns:

– Cicatriz hipertrófica: não ultrapassa os limites da ferida inicial, mas apresenta uma elevação e é causada pela produção desordenada de colágeno. Não é hereditária.

– Queloide: também apresenta elevação, mas ultrapassa os limites da ferida inicial. É hereditária.

– Cicatriz retraída: por apresentar uma tensão, ela repuxa os tecidos de onde se localiza, restringindo movimentos normais da área.

Como o problema gera um grande desconforto estético nos pacientes, a cirurgia plástica de correção de cicatrizes pode ser uma solução para melhorar e minimizar o aspecto das áreas afetadas. O resultado do procedimento depende de variáveis como o tamanho, a direção, a idade, o tipo e a cor da pele do paciente. Consulte um cirurgião plástico para conhecer quais são suas possibilidades.