A flacidez não escolhe idade para aparecer. Ela surge na região dos braços após grandes emagrecimentos, alternância de períodos de ganho e perda de peso e da elasticidade diminuída por conta da idade, sedentarismo, maus hábitos alimentares e fatores genéticos. É por isso que o músculo tríceps branquial ou “músculo do tchauzinho” traz tantos desconfortos, principalmente para as mulheres que gostam de deixar os braços à mostra.

A cirurgia plástica que corrige a falta de tônus e a pele em excesso é conhecida por vários nomes: braquioplastia, lifting do braço e dermolipectomia de braço. Esses procedimentos promovem a melhoria dessas imperfeições por intermédio da remoção do excesso de pele. Caso haja gordura localizada, além da braquioplastia, é feita uma lipoaspiração.

O contorno do braço fica mais natural e menos flácido. A intervenção é comumente feita com anestesia geral e o paciente deve evitar movimentar os braços durante o pós-operatório. O resultado pode ser visto a partir do sexto mês, tempo que o corpo leva para acomodar os tecidos e cicatrizar a pele.

O único inconveniente dessa cirurgia é o tamanho da cicatriz resultante. Normalmente, é extensa, verticalmente localizada na parte posterior do braço, podendo ser menor ou maior dependendo do volume de pele retirado.