O ser humano nasce com uma espécie de reloginho de contagem regressiva. Por isso, a partir de uma determinada idade, os sinais de envelhecimento começam a aparecer no corpo e na mente, e a flacidez de pele é um deles.

E dessa forma, começamos a ficar descontentes com a imagem vista no espelho. Os pés-de galinha, as pálpebras caídas, as olheiras, a bochecha que perde sustentação, os sulcos na testa — tudo se torna motivo de insatisfação.

Mas será que é possível mudar essa realidade? A partir de que idade a flacidez de pele começa a aparecer? Será que existem hábitos que aceleram o envelhecimento? É possível evitar esse processo ou realmente é necessário recorrer ao rejuvenescimento facial?

Se você também tem essas dúvidas, continue a leitura! Vamos explicar como a pele se torna flácida e quais são as soluções para esse problema. Confira!

Como acontece a sustentação da pele?

Para entendermos a flacidez, primeiro é necessário saber o que torna a pele firme. Esse tecido que envolve todo o nosso corpo é sustentado por duas proteínas: o colágeno e a elastina.

Entre os tecidos presentes em nosso corpo temos o tecido conjuntivo. Ele é formado por células, fibras e matriz extracelular. Suas funções são preencher o espaço entre outros tecidos, nutri-los e garantir a sustentação.

Porém, existe um tipo de célula presente neste tecido conjuntivo que é muito importante para a firmeza da pele. Trata-se dos fibroblastos, que têm a responsabilidade de produzir o colágeno e a elastina.

A elastina tem as mesmas características que uma borracha. Ela pode ser esticada ou comprimida, e ainda assim volta ao seu formato original. No entanto, nosso organismo não produz uma quantidade muito grande dessa proteína.

Já o colágeno é diferente. Ele é produzido em uma quantidade muito maior e está presente na maioria dos nossos órgãos. Sua função é estabelecer uma rede de fibras que sustentam os diversos tecidos, inclusive a pele.

Por que sofremos com a flacidez de pele?

Na verdade, existem diversos motivos para a flacidez da pele. O envelhecimento é dividido em dois tipos: extrínseco e intrínseco. Veja as diferenças a seguir:

Envelhecimento extrínseco

Trata-se do envelhecimento causado pela ação de agentes externos. Um dos principais é a exposição da pele ao sol, que causa o fotoenvelhecimento. Assim, as fibras de colágeno diminuem, algumas camadas se tornam mais finas e acontece uma aceleração da flacidez.

No entanto, existem outros fatores que aceleram esse envelhecimento. Assim, alimentação pobre em nutrientes, baixo consumo de água, exposição à poluição e tabagismo também prejudicam a qualidade da pele.

Portanto, o envelhecimento que nós podemos controlar é o extrínseco. Por isso, é necessário adotar hábitos saudáveis e limitar o tempo de exposição ao sol. Também é aconselhável usar protetores solares.

Envelhecimento intrínseco

A partir dos 25 anos, os fibroblastos que produzem colágeno e elastina perdem gradualmente sua eficiência. Então, eles se tornam menos ativos e ficam desorganizados, o que prejudica a síntese dessas duas proteínas.

Assim, a reposição de colágeno e elastina continua acontecendo. Porém, a velocidade é mais lenta do que a da perda, e com a idade esse problema se acentua. Por isso, a pele começa a ficar sem sustentação, o que leva à flacidez.

Como prevenir a flacidez de pele?

A prevenção da flacidez facial deve começar muito cedo, pois esse processo de envelhecimento acontece mesmo quando ainda não há sinais visíveis. Portanto, é importante manter uma alimentação saudável, ingerir muita água, praticar exercícios físicos e proteger o rosto e corpo do sol.

Também existem cosméticos que ajudam a retardar o aparecimento dos sinais. Então, à medida em que eles mantêm a pele bem hidratada, forma-se uma barreira que protege das agressões externas, desacelerando o aumento da flacidez.

Outra alternativa são os tratamentos estéticos. Assim, é possível utilizar algumas técnicas que estimulam a produção de colágeno, enquanto outras preenchem as áreas do rosto que apresentam rugas ou perda de definição.

No entanto, essas técnicas têm limites. Os preenchimentos são absorvidos pelo organismo e precisam ser refeitos com uma certa frequência. Já os tratamentos que melhoram a qualidade da pele têm efeito apenas durante um período reduzido.

Quando recorrer ao rejuvenescimento facial?

Se a pele é bem cuidada, tanto internamente quanto externamente, é possível adiar a cirurgia para rejuvenescimento facial. Porém, a maioria das pessoas não toma todos esses cuidados, principalmente os que se referem a hábitos saudáveis. Assim, sinais de idade significativos costumam aparecer entre os 40 e 45 anos.

Por isso, quem já chegou a essa idade e se sente incomodado com a própria aparência pode procurar um cirurgião plástico. O médico analisará os traços do rosto e identificará os pontos-chave que precisam de um rejuvenescimento.

Para algumas pessoas, o rejuvenescimento da região dos olhos é suficiente. Nesses casos, a blefaroplastia e o lifting de sobrancelhas são excelentes indicações. Porém, outros pacientes precisam de intervenções maiores, que podem envolver a área da testa ou mesmo o rosto inteiro.

O que importa é que, com um cirurgião plástico de confiança, você terá a indicação de uma intervenção personalizada. Então, será possível reverter a ação do tempo sobre a pele do rosto e parecer anos mais jovem outra vez.

Ainda existem alguns casos em que, mesmo não tendo chegado aos 40 anos, a pessoa pode precisar de um rejuvenescimento facial. Como exemplo, podemos mencionar quem passou por um processo de grande emagrecimento e sente que as sobras de pele deixaram seu rosto envelhecido.

Nesses casos, é melhor nem esperar tanto tempo. É possível corrigir a flacidez por meio da cirurgia e garantir uma aparência saudável e jovial para curtir esses anos da vida em paz com o espelho e com a autoestima lá nas alturas.

Entendeu a partir de que idade a flacidez de pele pode aparecer? Quer saber mais sobre a cirurgia de rejuvenescimento facial? Então, continue aqui no blog e confira nosso artigo completo sobre esse assunto!

master-health

A Master Health, há mais de duas décadas, alia conforto, segurança e zelo no tratamento de seus pacientes. Adepta do conceito de clínica vertical, a Master dispõe de quatro andares unicamente dispostos ao atendimento, favorecendo a privacidade de cada momento da cirurgia plástica ou tratamento realizado pelo paciente.
Diretora Técnica Dra. Elaine Favano – CRM 42085/SP

Cirurgia Plástica Master Health


Caso queira que entremos em contato com você, é só preencher o formulário abaixo !

(Preencha, envie e aguarde a confirmação)